12 janeiro, 2008

Bispo metodista alenta opositores do projeto turístico Passeio Caribe

PORTO RICO - SAN JUAN, 8 de janeiro (ALC) - O bispo metodista Juan Vera assegurou que a Coligação Ecumênica de Porto Rico apóia a causa que defende a devolução dos terrenos nos quais está sendo construído o polêmico projeto turístico Passeio Caribe, na capital porto-riquenha.

Presidente da Igreja Metodista de Porto Rico, Vera visitou ontem, 7, o Acampamento do Povo, integrado por manifestantes que se opõem à construção do projeto turístico residencial em terrenos de domínio público.

O projeto está sendo executado na entrada de Viejo San Juan e há meses provoca controvérsia na ilha. O Tribunal do Povo, em Laudo Interlocutório do dia 20 de agosto de 2007, afirmava que "essas construções estão sendo realizadas em terrenos de domínio público e avançaram ao mar mediante preenchimento, sem ter sido realizado em nenhum destes terrenos um deslinde total, cabal e confiável que permita determinar que tipo de proteção ambiental a área requer. Também não foi levado em consideração a jurisdição de cada agência administrativa encarregada de velar pela proteção dos diferentes recursos naturais, patrimoniais e culturais do povo de Porto Rico, segundo requerido por lei."

Recentemente, o secretário de Justiça, Roberto Sánchez Ramos, disse que esses terrenos são de domínio público porque foram ganhos de área onde antes chegava o mar.

“Na Coligação Ecumênica conversamos sobre este tema e há muita simpatia com esta causa. A liderança da Coligação se reunirá e tomará as decisões que sejam pertinentes em seu momento”, disse Vera.
O bispo foi enfático ao dizer que Passeio Caribe foi “construído ilegalmente para favorecer interesses alheios ao povo”. Afirmou que é preciso devolver ao povo o que é do povo. Ele chegou ao acampamento junto com pastores e fiéis da Igreja Metodista de Porto Rico, que cantaram e levaram doces aos manifestantes.
“Aqui há uma igreja que os apóia, respalda-os, e queremos dizer que sua causa é justa e nobre. Vocês não estão sozinhos”, assinalou.

De acordo com a decisão do governador Aníbal Acevedo Vilá, a Administração de Regulamentos e Permissões (ARPE) suspendeu as permissões de Passeio Caribe por 60 dias. Atualmente, o caso está sendo debatido nos tribunais, com data de audiência prevista para amanhã, 9 de janeiro.

------------------------------------------------------------------------------
Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home