06 fevereiro, 2008

Quaresma, tempo de preparo para a Páscoa. E até para a paixão e a cruz... (Pr. Ronan Boechat de Amorim)

“Três vezes no ano me celebrareis festas”, disse Deus (Ex 23:14).

Estas festas são:
a) A festa da Páscoa ou dos Pães Asmos ou Ázimos (pães sem fermen-to) para celebrar o êxodo e a libertação dos israelitas do Egito (Lv 23:4-8);

b) A festa das Primícias ou do Pentecostes (palavra grega que quer di-zer 7 semanas ou 50 dias) para celebrar o início da colheita (Lv 23:15-25);

c) A festa dos Tabernáculos ou Colheita onde o povo durante 7 dias deixava suas casas e habitava em tendas de ramos em memória de sua peregrinação no deserto e que era realizada como ação de graças logo após a colheita do trigo e de recolherem os frutos (Lv 23:42-43).

Mt 26:19, Jo 2:23 e João 23:1-30 mostram que o Senhor Jesus obser-vava a celebração da Páscoa. Aliás, Ele foi preso e morto na cruz quando estava em Jerusalém para celebrar a Páscoa. Ele ressuscitou no domin-go de Páscoa. Por isso a Páscoa para os cristãos é a celebração do êxo-do, mas sobretudo a celebração da morte e da ressurreição de Jesus.

Foi durante a Festa de Pentecostes, 50 dias após a Páscoa, quando os discípulos estavam em Jerusalém na celebração do Pentecostes, que o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja e sobre toda a carne (At 2:1-4). Por isso o Pentecostes é uma festa celebrada também pelos cristãos, com o novo significado que passou a ter a partir daquele dia de Pentecostes no ano da morte e ressurreição de Jesus.

Algum tempo depois, a partir da Páscoa e do Pentecostes, a Igreja criou o Calendário Litúrgico Cristão, para celebrar e recordar a cada ano toda a vida de Jesus e todos os atos salvíficos de Deus, incluindo nele, entre outros, a celebração do Natal e da Quaresma (palavra grega que quer dizer 40 dias). Esta última, nos 40 dias antes da Páscoa, como um tempo de preparo espiritual para a celebração dela.

A Quaresma, portanto, é um tempo de oração, quebrantamento, consagração e preparo para o discipulado e o ministério cristão. Tempo de preparo até mesmo para a perseguição, a paixão e a cruz, caso venham. Somos chamados a reler nos Evangelhos os relatos acerca dos últimos acontecimentos no Ministério terreno de Jesus, tais como o sermão profético, a instituição da Ceia do Senhor, a solidão do Getsêmani, a traição de um discípulo próximo (Judas), a tortura e humilhação a que foi submetido ao ser preso, a sua injusta condenação e a morte.

Hoje é a chamada 4ª-feira de cinzas, o 1º dia da Quaresma, o 1º do total dos 40 dias...

Ouçamos a voz de Jesus,
aprendamos com ela
e deixemos que ela nos fortaleça e capacite para a Missão.

Que nossa vida seja instrumento de louvor! Celebremos ao Senhor!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home